PROEMPI participa de força-tarefa que se reúne para definir plano de ação para recuperar a economia

Paulo Oliva, presidente da PROEMPI, participou do encontro na Prefeitura de Jundiaí

Paulo Oliva, presidente da PROEMPI, participou do encontro na Prefeitura de Jundiaí

Na manhã de quinta-feira (09), o presidente da PROEMPI (Associação de Empresas e Profissionais do Setor Imobiliário de Jundiaí e Região), Paulo Oliva, participou, ao lado de representantes dos setores de comércio, indústria e serviços do Município de um encontro com o prefeito Luiz Fernando Machado, o gestor de Governo e Finanças José Antonio Parimoschi e demais integrantes da Força-tarefa para Enfrentamento dos Impactos Econômicos gerados pela COVID-19, para elaborar um plano de ação focado na economia da cidade. Este foi o segundo encontro da Força Tarefa criada no final de março com representantes destes setores para que contribuam com alternativas e ações que possam reduzir os impactos negativos da crise econômica ocasionada em função da pandemia.

Além da PROEMPI, a Força Tarefa é composta por representantes do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Sincomércio, Sincomerciários, Sindicato dos Metalúrgicos,  Associação Comercial e Empresarial (ACE), Acomac (Associação Jundiaiense de Materiais de Construção), Núcleo Gastronômico e Hoteleiro do CDL e da Associação dos Contadores (Cont), entidade que reúne contadores.

Paulo Oliva, presidente da PROEMPI, destacou que a cidade terá problema com transporte coletivo, pois mais de 66% dos motoristas está no grupo de risco, dos 600 motoristas, a cidade tem apenas 198 ativos. “Além desse problema, a prefeitura está preocupada com a queda no ICMS do mês de abril, 18% menor: vale lembrar que o ICMS representa 30% do total da tributação do município”, destacou. “Para as empresas engajadas no enfrentamento do coronavírus e seguindo as regras de isolamento do município, cumprindo o protocolo, a prefeitura anunciou acesso a micro-crédito”, completou. 

De acordo com o presidente da PROEMPI, empresário que não faz parte dos segmentos de produtos básicos/essenciais, mas conseguir comprovar com argumentos consistentes que é possível realizar a sua operação com cuidado, respeitando as medidas de contenção pode entrar com pedido de reabertura do seu negócio, antes do dia 22 de abril. “Então, é possível sim, fazer esta solicitação, diretamente ao Comitê de Enfrentamento do Covid-19”, ressaltou Paulo, lembrando que foi sugerido durante a reunião abolir os feriados deste ano.

O prefeito Luiz Fernando Machado reiterou a importância de Jundiaí continuar com as medidas de restrições que contribuem para o isolamento social. “Precisamos seguir com a quarentena em nossa cidade, cumprindo o último decreto de restrição estipulado pelo Governo do Estado válido para os 645 municípios paulistas, que vai até o próximo dia 22”, ressaltou, reforçando que a medida é uma recomendação das autoridades sanitárias e epidemiológicas, com base em estudos científicos. “Estamos todos preocupados com a questão econômica do País, mas nossa prioridade é salvar vidas e só conseguiremos se não houver uma superlotação dos leitos nos hospitais, o que ocasionará o colapso do sistema de saúde”.

Luiz Fernando também ressaltou que haverá uma fiscalização sanitária mais rigorosa na cidade para conferir se as medidas estão sendo seguidas pelos estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar durante a pandemia. “Estamos recebendo muitas denúncias, especialmente quanto a supermercados que vendem outros gêneros além dos artigos de primeira necessidade”, exemplificou comentando sobre os espaços que vendem artigos eletroeletrônicos. “Faremos uma fiscalização mais rigorosa e, caso seja constatado que o estabelecimento não está tomando os devidos cuidados de restrição de acesso, ou de higiene ou ainda adotando atitudes que atraiam aglomerações que não condizem com o momento, terá suas portas fechadas”, avisou.

O gestor de Governo e Finanças também destacou a necessidade de um planejamento coordenado para que a crise financeira que já desponta no País seja amenizada por algumas iniciativas conjuntas. “O isolamento é a medida essencial para o momento porque trata da preservação da vida, e os números indicam que apenas metade da população está em casa, quando a indicado é que 70% estivesse cumprindo corretamente a quarentena”, salientou Parimoschi. “Por outro lado, já estamos trabalhando num plano de reestruturação da economia do Município, destinado num primeiro momento para o público com maior fragilidade econômica como os MEI (autônomos e profissionais liberais), micros e pequenas empresas, e quanto antes iniciarmos as medidas de recuperação, menores serão os danos enfrentados por todos nós durante essa recessão”, alertou. “Este é um momento que exige que todos tenhamos sobriedade nas decisões, foco, disciplina e espírito de coletividade para que possamos atravessar este momento e, no menor tempo possível, retomar nossas atividades normais”, salientou.

Na próxima semana, o gestor de Governo e Finanças, coordenador da Força-tarefa de economia, apresentará em conjunto com o Sebrae, o plano de ação elaborado com os detalhamentos das medidas discutidas nesta reunião, com início previsto para maio.

 

Cíntia Souza – Assessoria de Comunicação da PROEMPI, com informações da PMJ.