Presidente da PROEMPI apresenta cenário do mercado imobiliário de Jundiaí e Região em live do Secovi SP

Paulo, Kelma e Frederico em videconferência

Paulo, Kelma e Frederico em videoconferência sobre os impactos do Covid-19 para o interior paulista.

O presidente da PROEMPI e representante do Secovi-SP em Jundiaí e região, Paulo Oliva, participou na terça-feira, dia 12 de maio, de um encontro por videoconferência com Frederico Marcondes Cesar, vice-presidente do Interior do Secovi-SP; e Kelma Camargo, diretora regional do Secovi em Campinas, para debater o mercado imobiliário do interior paulista diante dos impactos provocados pelo Covid-19.

Desde que foi decretado isolamento, o Secovi-SP vem promovendo encontros com diretores e representantes regionais para avaliar impactos da pandemia. “O mercado imobiliário do interior paulista é um dos mais importantes do País. Queremos discutir os efeitos da pandemia no setor, analisar o atual cenário e avaliar as perspectivas a curto prazo”, explicou Frederico ao dar início ao encontro.

Mais de 130 pessoas participaram da videoconferência que também estará disponível pelo Youtube no canal do Secovi SP. Frederico apresentou números que reforçam a força do interior paulista na economia do Estado e do País. “O Estado de São Paulo responde por 32% do PIB Nacional, enquanto o interior paulista responde por 67% do PIB do Estado de São Paulo, o que corresponde a R$ 2,1 tri”, destacou.

Paulo e Kelma comentaram sobre o comportamento do mercado imobiliário antes da quarentena em comparativo ao ao momento atual. “Em 2019, o mercado imobiliário em Jundiaí vinha numa crescente e até março deste ano o mercado vinha negociando bem em abril, sentimos uma queda razoável. Importante destacar que temos empresas que estão negociando Minha Casa Minha Vida e estas sentiram abalo. Para empresas com um portfólio mais abrangente, nós temos relatos de até 70% de queda nas vendas”, relatou o presidente da PROEMPI, Paulo Oliva.

Para Kelma, Campinas vinha num crescimento e com a pandemia, tudo mudou.”Campinas vinha apresentando um crescimento da ordem de 10% a mais do mesmo período do ano passado, vínhamos numa crescente e o interior acompanhando o crescimento brasileiro. Com a pandemia, o mercado de compra e venda retraiu e nestas últimas semanas, estamos sentindo uma recuperação tímida, mas a boa notícia é que vem se movimentando gradativamente”, explicou Kelma.

Paulo reforçou ainda que o mercado imobiliário de Jundiaí está com lançamentos adiados, tanto para Minha Casa Minha Vida, como para o classe média e alto padrão. “Em 2017, lançamos menos, mas conseguimos consumir estoque; em 2018, retomamos lançamentos e, de lá para cá, percebemos que existe sim, uma demanda de produtos para de alto padrão”, reforçou Paulo. “Mudou um pouco o perfil do nosso cliente. Os imóveis de alto plantão viraram uma alternativa de renda para os que têm capacidade para investir”, completou.

O que vem por aí – O presidente da Proempi disse que não acredita que haja queda de preços em novos lançamentos. “Com os juros mais baixos, o mercado vai se beneficiar da atratividade em financiamento. Quem trabalha com financiamento próprio e tiver a boa vontade de reduzir um pouco a sua margem será bem visto no mercado”, aconselhou.

Paulo avaliou ainda que o mercado tem grande dificuldade em finalizar as vendas por conta do isolamento. “O nosso negócio depende deste olho no olho. Em abril, a FA Oliva, empresa do presidente da Proempi, fez a primeira venda 100% on-line: um marco para a nossa história, mas acreditamos que este tipo de negócio, esta nova alternativa veio para ficar”, anunciou.