Imóveis de 2 dormitórios econômicos lideram lançamentos e vendas em Jundiaí

Ricardo Benassi, diretor regional do Secovi SP em Jundiaí e região apresentou os números do estudo

Ricardo Benassi, diretor regional do Secovi SP em Jundiaí e região, apresentou o estudo

No período de dezembro de 2014 a novembro de 2017, foram lançadas 3.874 unidades em Jundiaí, conforme dados do Estudo do Mercado Imobiliário que descreve o desempenho de lançamentos e vendas de imóveis residenciais novos na cidade. O levantamento é desenvolvido por Robert Michel Zarif, em parceria com o Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Neste mesmo intervalo, 2.673 unidades foram comercializadas, gerando uma oferta final de 1.201 novas habitações.

imoveis2Segundo o levantamento, o maior volume de lançamentos e de vendas foi de imóveis de 2 dormitórios econômicos, correspondendo a 35% (1.348 unidades) e 39% (1.047 unidades) do total, respectivamente. O segmento de 2 dormitórios registrou 33% e 32% de participação, seguido de unidades de 3 dormitórios (28% e 25%); 4 dormitórios (3% e 3%); 1 dormitório econômico (1% e 1,4%); e 1 dormitório (0,1% e 0,07%).

Entre os dados levantados, destacam-se as unidades de 46 m² até 65 m², que tiveram participação de 55% nos lançamentos (2.133 imóveis). Em relação às vendas, foram comercializados no período 1.499 imóveis com metragem entre 46 m² até 65 m², representando 56% do total. Quanto às faixas de preços, lideraram os imóveis com valores até R$ 500 mil: foram 3.354 unidades lançadas e 2.271 unidades vendidas, que participaram com 86% e 85%, respectivamente.

imoveis 1
Preços – Em relação aos valores, os preços médios totais no período foram de R$ 310.360,00 (1 dormitório), R$ 178.000,00 (1 dormitório econômico), R$ 309.234,00 (2 dormitórios), R$ 212.011,00 (2 dormitórios econômicos), R$ 508.739,00 (3 dormitórios) e R$ 2.256.521,00 (4 dormitórios). Ao analisar o preço médio por m², os valores ficaram em R$ 5.445,00 (1 dormitório), R$ 3.708,00 (1 dormitório econômico), R$ 5.139,00 (2 dormitórios), R$ 4.399,00 (2 dormitórios econômicos), R$ 5.593,00 (3 dormitórios) e R$ 9.296,00 (4 dormitórios).

VGV Total – O Valor Global de Vendas alcançado nos últimos 36 meses em Jundiaí foi de R$ 1,016 bilhão. O maior volume de comercialização ficou concentrado nos imóveis de 3 dormitórios (R$ 334 milhões e 33% de participação), seguido por unidades de 2 dormitórios (R$ 261 milhões e 26%), 2 dormitórios econômicos (R$ 222 milhões e 22%), 4 dormitórios (R$ 192 milhões e 19%), 1 dormitório (R$ 1 milhão e 3%), e 1 dormitório econômico (R$ 7 milhões e 0,7%).

Oferta Final – Descontando o total de imóveis comercializados (2.673 unidades) do volume lançado (3.874 unidades) nos 36 meses considerados, a oferta final totalizou 1.201 unidades, o que representa uma queda de 56% em relação ao estoque total registrado em novembro de 2016 (2.715 unidades). Nesse universo, destacam-se atualmente os imóveis de 2 dormitórios (428 unidades) e, na sequência, aparecem os de 3 dormitórios (427 unidades), 2 dormitórios econômicos (301 unidades), 4 dormitórios (43 unidades) e 1 dormitório (2 unidades).

Lotes aprovados – Os loteamentos também estão contemplados no estudo, a partir do levantamento do número de projetos aprovados no Graprohab (Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais do Estado de São Paulo) nos últimos anos. Em 2016, foram protocolados 644 projetos de loteamentos no Estado, ante 692 formalizados no ano anterior. Jundiaí teve dois projetos aprovados no Graprohab no ano passado, totalizando 171 lotes previstos. Em 2015, houve quatro aprovações na cidade, com 820 lotes programados.

Cenário – Para o vice-presidente do Interior do Secovi-SP, Frederico Marcondes César, investir em imóveis continua sendo uma excelente opção de negócio, o que garante a boa movimentação do setor na cidade. “Embora o mercado esteja se recuperando após as instabilidades político-econômicas vividas ao longo do ano, é possível encontrar boas oportunidades para quem quer realizar o sonho da casa própria ou sair do aluguel”, afirma.

Para Walter da Costa e Silva Filho, presidente da Proempi (Associação das Empresas e Profissionais do Setor Imobiliário de Jundiaí e Região), entidade que representa o Secovi-SP na região, outros fatores contribuem para o bom fluxo do mercado no município. “A cidade apresenta boa qualidade de vida, oportunidades de carreira e um bom crescimento econômico por parte da população, o que atrai muitos interessados em fixar residência no município ou simplesmente em investir”, salienta.

“Boa parte dos imóveis lançados e comercializados está dentro da faixa de até R$ 230 mil, que conta com vantagens nos valores e nas opções de financiamento e, consequentemente, facilita o acesso da população à aquisição de casas ou apartamentos”, analisa Ricardo Benassi, representante do Secovi-SP em Jundiaí, ressaltando o momento propício para a compra de imóveis, com preços atrativos, taxa de juros nos níveis mais baixos dos últimos anos e boas perspectivas para a retomada da economia.

Informações: Secovi SP